segunda-feira, 3 de setembro de 2012

Um ano de FVCR

Há um ano, exatamente um ano atrás, eu estava escrevendo pro blog, sobre o mesmo assunto que me faz sentar na frente do computador novamente agora. De lá para cá, muitas coisas se passaram....muitas vidas se modificaram. 

Um ano atrás, mulheres e meninas realizavam um sonho, e ultrapassavam limites para realizar e conquistar esse objetivo. Algumas nem ousaram sonhar com esse momento. Transgressão era a palavra que acompanhavam essas pessoas fantásticas.

O encontro dos 100 mil foi no Rio de Janeiro.Em um setembro de chuva. Muitas planejaram, outras foram de última hora, algumas acreditaram que não iam conseguir participar (eu!)... Enfim, o mérito será sempre o gosto pela conquista individual, e pelo prazer imenso do coletivo, por estar dividindo aquele momento.

Lembro dos sorrisos, da espera, das conversas, da imprensa, da história de vida do Cássio, do amor incondicional que aquelas meninas cultivam por este "ser" iluminado. Lembro dos pais dele, que transmitiam um orgulho ímpar por presenciar aquele momento, e ver como o filho era amado por aquelas pessoas. E agora, posso dizer, que aquele dia foi crucial para a formação de amizades que só se consolidaram com o tempo. 

Hoje, aquelas meninas formam uma família. Cada uma em seu estado, com sua vida, suas conquistas pessoais, sua família, seus sonhos. A questão é que foi criado um laço que só se multiplicou com o tempo. Agora, conto com uma rede de carinho infinito. E no fim, o Cássio Reis se tornou secundário diante desse turbilhão de carinho que venho recendo nesse um ano de convivência virtual. Secundário seria um modo de falar, porque esse menino é ímpar, insubstituível. Mas conseguimos ir além, e cultivar uma amizade e um carinho de verdade, maior que muitas relações que duram uma vida inteira.

Este post é só para brindar o #Encontrodos100mil e agradecer ao Cássio por me proporcionar um momento inesquecível. E dizer que eu e todos que estavam lá seremos eternamento gratos por todas as coisas boas que levamos pra casa a partir daquele encontro. 

Um ano de Rio de Janeiro! Que a vida brinde a todas com a coragem e empenho daquele momento, que nos fez acreditar que nada é impossível neste mundo. Obrigada meninas. Obrigada Cássio!

sábado, 1 de setembro de 2012

"Reflexão nossa de cada dia..."

É difícil adaptar-se a um mundo onde pessoas dizem que amam sem entender o real significado desta palavra, ou de fato saber o que é sentir amor por alguém. Cada um pensa somente em si mesmo. E é legal apenas quando lhe convém, esquecendo de distribuir gratuitamente respeito e consideração para aqueles que os cercam e que cultivam um carinho. Aliás, minha educação e experiência de vida, me ensinaram que TODOS merecem meu RESPEITO, mesmo os que eu acho que não. 

Hoje em dia tudo é muito fútil, rápido e sem sentido. Não estou falando que devemos ser corretos conforme as "leis básicas da sociedade". Acho que devemos arriscar, apaixonar e desapaixonar, rir e chorar, e de vez em quando até fazer alguém chorar de tristeza. Porque viver é isso, é um eterno errar e aprender. Mas persistir em erros claros é burrice, e por diversas vezes mau caratismo. Ninguém tem o direito de magoar, iludir e sacanear... sabendo que está fazendo isso, e vendo o outro derramar lágrimas.

Pessoas que sempre querem "se sair bem", são pessoas vazias e dignas de pena. Admiro os que terminam uma relação por não querer magoar, que são sinceros, que tentam preservar o sentimento alheio, mesmo sabendo da dor que pode ser gerada. Até porque no fim, evita-se uma dor e uma decepção maior no futuro. Mas também admiro de certa forma os que preservam uma relação, como um casamento, para não magoar e manter os laços afetivos. Isso também é uma forma de amar, talvez não a mais correta e sensata, porém não deixa de ser amor. 

É muito fácil vestir uma máscara e se fazer de legal quando convém, discursar sobre religião, Deus e suas crenças. Mas a máscara cai quando não colocamos em prática o que aprendemos ou pregamos em nome de nossas crenças religiosas. Isso aplica-se também para crenças morais, e para aqueles assuntos polêmicos. Sejamos menos hipócritas e moralistas, deixemos que nosso lado humano aflore... nem que seja para errar e aprender.

Ninguém é perfeito. É inevitável, vamos magoar e decepcionar as pessoas que amamos e/ou que nos amam. Mas até que ponto estamos colocando o dedo na ferida? Até que ponto sabemos que nosso dedo está lá e não o tiramos?

Ninguém é perfeito, mas que o esforço para o crescimento seja sempre constante. Tire sua máscara. Permita-se. Peça desculpas. Dê um abraço. Apaixone-se. Faça algo diferente. Ajude um desconhecido. Termine. Recomece. Seja sincero. Mas acima de tudo RESPEITE, seja como for. E trate TODOS com  educação. Mesmo que você não a tenha de berço, que a conquiste por instinto e experiência. Nunca é tarde para aprender nada. Nunca é tarde para pedir desculpas. Nunca é tarde para acreditar que só com amor conseguimos nos tornar melhores, amando o que for.